CP ouve prefeito e demais envolvidos em denúncia

A Bigorna 10/12/2018 22:50:00 1388 visualizações
# legenda: Comissão Processante

A Comissão Processante composta pelos vereadores Barreto (Presidente) Marialva e Sérgio Fernandes  ouviu no decorrer desta segunda-feira, dia 10 o prefeito de Avaré Joselyr B. C. Silvestre, Priscila Canovas, Jair Canovas, a secretária de Indústria e Comércio Sandra Theodoro, além de outras testemunhas.

Priscila Canovas que ingressou com o pedido alegando que estava sendo ‘perseguida’ pelo prefeito, depois de ser transferida foi a primeira a depor. Ela disse, em síntese, que achou estranha sua transferência, a qual teria ocorrido sem motivo achando tal fato estranho.

Jair Canovas também foi ouvido. Ele alegou que a transferência de sua esposa ocorreu porque o prefeito estaria ‘perseguindo’ sua esposa. Canovas ainda destacou que ia ao local de trabalho de sua esposa, mas que não interferia em nada. Ele acredita que a transferência atingiu a imagem de sua esposa. Para ele o local de trabalho de sua esposa é um local público e disse que nunca atrapalhou o trabalho de sua esposa, sendo que apenas ia buscá-la.

Sandra Theodoro (Secretária de Indústria e Comércio) alegou que a funcionária estava fazendo trabalhos que não eram pertinentes ao serviço. Ela também acusou Canovas de ter dito a ela que iria procurar vereadores e que teria já três vereadores a seu favor para abrir uma investigação contra o prefeito. Sandra ainda declarou que tentou conversar pedindo que Canovas não fosse ao local (Casa do Cidadão), mas não conseguiu. Ela confirmou que recebeu uma mensagem do prefeito mandando que  transferisse Priscila.

O investigado, Joselyr Silvestre declarou que não persegue a funcionária e que a transferência foi decidida por ele, já que segundo Silvestre, Jair Canovas se dirigia ao setor de trabalho de sua esposa e atrapalhava todo o serviço do local. Ele confirmou que mandou uma mensagem para sua secretária por Watssap, solicitando que Sandra tomasse as medidas para transferir a funcionária, a qual segundo o atual prefeito somente foi transferida de local, mas seu cargo foi mantido.

Joselyr Silvestre se defendeu ainda alegando que o ato de transferência é discricionário do prefeito, e acusou Canovas de intimidá-lo ao dizer que foi ameaçado de morte por Jair Canovas.

Outras testemunhas foram ouvidas no decorrer da tarde, e se revezaram entre a defesa e acusação. A Comissão que investiga o suposto assédio do prefeito de Avaré deverá se reunir depois que receber a defesa escrita do prefeito.

 

 

 

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br