Em clima de tensão CP foi votada na Câmara de Avaré

A Bigorna 09/01/2019 03:10:00 12193 visualizações
# legenda: Política

Com a presença inicialmente de inúmeras pessoas, foi lido na noite desta terça-feira, 08, o relatório da Comissão Processante que averiguou se houve falta de decoro por parte de Joselyr B.C.Silvestre (PTB).

Após mais de horas de leitura de todo o processo que apurou e investigou Joselyr Silvestre, o relatório pediu a cassação do prefeito de Avaré por proceder de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo, de acordo com assinado pelo Relator-vereador Sérgio Fernandez.

A denúncia partiu de Priscila Canovas que alegou estar sendo perseguida pelo prefeito.  A CP foi instaurada por 7 votos a favor e 6 contra no mês de novembro de 2018.

Com pouco mais de um mês de trabalho dos vereadores Marialva, Barreto e Sérgio, o relatório pediu a cassação de Joselyr Silvestre na qual chega à conclusão que o prefeito maculou o cargo ao perseguir a funcionária pública.

Vereadores

O primeiro a falar foi o vereador Sérgio Fernandez, que declarou que a denúncia foi formulada por uma funcionária, e que baseado em lei segundo o parlamentar julgar um parecer técnico ou político. Para o vereador o prefeito incorreu, em tese, que a motivação da transferência da funcionária ocorreu de forma indecorosa, ao utilizar watzzap para isso; a motivação segundo Sérgio mostra que a transferência da funcionária se deu por motivação que o prefeito não estava satisfeito com a presença de Jair Canovas no setor de trabalho de sua esposa.

Sérgio se dirigiu a Joselyr Silvestre: “Não sinto prazer nenhum prefeito em estar aqui fazendo a comissão, mesmo com nossas diferenças políticas, quero deixar esclarecido ao senhor”.

Estati disse que a Câmara está sendo desgastada. “Precisamos ter conteúdo. Uma denúncia precisa ter conteúdo. As pessoas não acreditam que se possam cassar um prefeito com uma acusação com mais provas.”

Toninho da Lorsa por sua vez, declarou que se existe uma denúncia os vereadores tem que apurar. “O que leva um homem de 36 anos a mandar uma mensagem para uma secretária e pedir sua transferência.”

O vereador ainda destacou que em sua fala  Priscila Canovas participava de uma comissão de doação de terrenos pela prefeitura. Trabalho que segundo o depoimento de Priscila, muitos empresários recebiam terreno e não realizavam o que está em lei, ou seja, ela constatou que alguns empresários que receberam gratuitamente o terreno doado pela prefeitura, simplesmente fizeram no local sua residência, o que não pode ocorrer por lei. Nos terrenos doados Priscila Canovas declarou que houve notificações de empresas que não fizeram o investimento conforme a doaçao determina. Alguns terrenos, segundo a depoente há empresários que construíram até mesmo piscinas no local.

“Talvez o problema da Priscila não seja o marido, mas sim saber demais, e, talvez, ela não pudesse ficar naquele departamento.” -declarou Toninho.

Ernesto por sua vez destacou que partiu de watzzap a transferência de uma funcionária, sendo 20 anos de prefeitura, sem sanção administrativa. “Analisando isso, a culpa era do marido, mas hoje vemos que existem empresários em terrenos doados que construíram casa ao invés de somente a empresa. A verdade é que existe um empresário que está aqui entre nós que recebeu um terreno e construiu sua residência. A atuação na Indústria e Comércio é diferente de ir para um Caps. Duvido que um prefeito sensato, teria feito isso. Foi afrontada a lei, e quem sabe exista um fato real da transferência da servidora”.

Vice-prefeita

Bruna Silvestre conturbou a Sessão e ouviu o que não queria de Marialva Biazon, a qual disse que a vida pessoal de Bruna Silvestre de ficar em boates, segundo Marialva e ficar mostrando suas partes íntimas também é falta de decoro.  

Marialva disse que admira a coragem de Priscila Canovas e teve a coragem de pedir ajuda por estar sendo prejudicada. “Acho que puxamos a pena e achamos a galinha. A secretária diz que a funcionária é relapsa, então a senhora Sandra foi omissa e houve falta de decoro por parte do prefeito; se ele vai ser cassado ou não é outra coisa.” – frisou Marialva.

Roberto Araujo defendeu a administração ao dizer que o prefeito trabalha muito e pegou uma cidade abandonada e está reconstruindo a cidade. “Isso se chama dor de cotovelo. Agora, vamos deixar o prefeito trabalhar, vamos vencer nas urnas.” Para o vereador o agente administrativo pode trabalhar em seu cargo em qualquer lugar da prefeitura. Isso não é perseguição. O prefeito até colocou a funcionária em um setor em que o chefe é seu padrinho de casamento. Araujo ainda relatou que existem três vereadores que foram citados e que não deveriam votar e, sim seus suplentes. “Vereador fazendo parte do processo e ainda querer votar. Isso é um absurdo”.

Alessandro Rios declarou que uma CP deveria ser a última instância para se averiguar uma denúncia. Para ele não se pode ter um prefeito cassado num processo que em sua visão não é importante. “Quando for algo gravíssimo sim, mas em algo não comprobatório, não”. –disse.

Zandoná questionou numa suposta analogia se houver envelope de dinheiro em época de eleiçao é falta de decoro. “Nós percebemos prefeito e vemos que existem pessoas maldosas a seu lado e que vão lhe prejudicar, prefeito.” Para Zandoná, o horário em que o prefeito pediu a transferência da funcionária (madrugada) soa estranho. “Não vejo muito revanchismo aqui não. Quem nos colocou aqui foi o povo e eles querem que nós fiscalizemos”.- destacou.

Tensão

Por volta de 00:07hs uma pessoa teria cometido o crime de racismo ao gritar no Plenário chamando Marialva Biazon de “negra”. Barreto, por sua vez, pediu a gravação para averiguar a acusação e se confirmada à pessoa poderá responder pelo crime de racismo.

Defesa

Quase a 1 hora da manhã, o advogado do prefeito, Renato Ribeiro começou a defesa. Em primeiras palavras declarou que o caso é emblemático e absurdo. Ele chamou Jair Canovas de “Petruchio”, personagem caipira que foi exibido em novela. Para o advogado, o processo é machismo e o assustou muito.

“Um homem casado com uma mulher mais nova e passa boa parte do tempo no local de trabalho, e achar que o prefeito deve dar satisfação ao marido”. – declarou.

O advogado falou que Priscila Canovas foi uma ‘laranja’ para denegrir a imagem do prefeito. Além disso, o advogado colocou em dúvida o processo, desde a inicial até o relatório final. Segundo o advogado a funcionária já passou por sindicância. Para o advogado, o mesmo que foi feito com a ex-presidente Dilma estaria sendo feito em Avaré, dizendo que tudo seria um golpe. Renato Ribeiro atacou alguns vereadores, além de dizer que um deles é ‘ficha suja’, e o prefeito não tem processo, sendo ficha limpa. Para o advogado o processo não faz sentido, pois para ele o vice-prefeito não vai mudar nada na cidade: "Não é o caso do Temer, uma conspiração".- declarou o advogado.

Para o defensor a própria funcionária disse que o prefeito manteve a funcionária em cargo administrativo, e não foi desviada de função. “Faltou combinar com a senhora Priscila pela Comissão, que é viciada.” -frisou. O advogado também declarou que Priscila em depoimento disse que está bem no novo setor que foi transferida. Ele ainda destacou em vídeos com a declaração de Priscila Canovas,  que a mesma não sabe dizer a motivação de sua transferência. O defensor ainda mostrou um vídeo que Priscila não teria lido a própria denúncia, e classificou a funcionária como uma mera ‘laranja’, pois segundo o defensor a funcionária não sabia se foi punida ou não, sendo que Priscila declarou que ela mesma não sabia se era uma punição e que não sabeia o motivo de sua transferência. O defensor mostrou vídeos de outras testemunhas e defendeu que a Comissão foi um golpe, pois não visão do jurista não houve quebra de decoro. A defesa foi encerrada por volta de 02:43hs.

Votação

Logo após a defesa, o atual presidente Barreto colocou em votação nominal, onde leu a acusação que previa o relatório final analisando que houve falta de decoro por parte de Silvestre.

Adalgisa votou pela cassação; Rios não, Toninho da Lorsa sim; Estati contra a cassação , Moreli contra, Ernesto a favor, Zandoná a favor, Barreto votou pela cassação, Ivan votou contra assim como Jairo Alves; enquanto Marialva votou a favor, Roberto Araujo votou contra e Sérgio Fernandez votou a favor.

Como havia a necessidade de votação com maioria qualificada, ou seja, 9 votos a favor, Joselyr B.C.Silvestre não foi cassado, já que a votação ficou em 7 a favor e 6 contra. Com o resultado da votação o processo foi arquivado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@abigorna.com.br