Palanque do Zé #44 - A caixinha do fim do Mundo

Zé Renato 26/03/2020 10:10:00 339 visualizações

Ontem tive que sair, apesar da indicação de ficar em casa. Fazia 4 dias que eu não colocava as rodas na rua.

Fui na farmácia e comprei remédios para a minha família, para durar três meses.

Não sabemos se essa questão de COVID-19 vai durar muito a ponto de nos deixar sem dinheiro ou sem distribuição adequada de medicamentos.

Não é ser egoísta. É ser prudente. Todos esses remédios são essenciais para as nossas vidas. Não são coisas com as quais podemos ficar sem, tipo álcool em gel, máscaras ou papel higiênico.

Mas o que me espantou mais, foi que tudo ficou numa caixa de supermercado de tamanho médio. E custou quase R$ 600.

O volume de remédios que tomamos num prazo relativamente curto de tempo, aliado ao alto custo de medicação essencial à manutenção da vida, só demonstra três coisas: Que o Estado não está fazendo o suficiente para possibilitar que todos tenham acesso aos remédios, que somos uma sociedade doente majoritariamente e que a Indústria Farmacêutica é muito mais poderosa do que eu supunha.

Quando cheguei em casa com aquele volume todo de medicamentos, minha Mãe perguntou o que era. Prontamente respondi: A caixinha do fim do Mundo.

De novo: Estou rindo, mas é de nervoso.

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@jornalabigornaavare.com.br