• Só 30% dos jovens até 24 anos tomaram 3ª dose de vacina contra Covid

    516 Jornal A Bigorna 21/05/2022 05:00:00

    O Brasil patina no processo para conseguir imunizar a sua população acima de 18 anos com a terceira dose das vacinas contra Covid, já recomendada a essa faixa etária desde dezembro de 2021.

    Enquanto nos grupos mais velhos, de 70 anos ou mais, cerca de 9 em cada 10 brasileiros apresentam o esquema vacinal com três doses completo e já avançam para a quarta dose (ou segundo reforço), na população abaixo de 60 anos essa parcela não chega à metade, segundo análise da Folha com dados do Ministério da Saúde e do IBGE.

    Os percentuais diminuem conforme a idade: pouco mais de um terço dos brasileiros com idade entre 25 a 29 anos atualizou a proteção (35%), e menos do que isso na faixa dos 18 aos 24 anos (30%).

    Mesmo considerando que a imunização desses grupos teve início depois e que é preciso aguardar o intervalo de quatro meses após a segunda dose, as faixas mais jovens já poderiam apresentar percentuais elevados. Porém, a maioria ignora a necessidade da dose extra ou não busca a atualização no prazo indicado, como mostrou reportagem da Folha.

    Para Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, é importante primeiro diferenciar o conceito de reforço com o de ciclo com três doses. "Hoje já temos um acúmulo de evidências suficiente para saber que o esquema completo é de três doses, e não duas. Só falamos em reforço para os idosos com mais de 60 anos que recebem a quarta dose", diz.

    Se no início, quando as vacinas foram desenvolvidas, não se sabia por quanto tempo iria durar a proteção, agora já há estudos que mostram que o nível de anticorpos induzidos após a imunização cai em cerca de quatro meses. "E isso tem um diferencial porque dizer que é uma dose de reforço é bem diferente de afirmar que o indivíduo só está completamente imunizado com três doses", reforça.(Da Folha de SP)

    OUTRAS NOTÍCIAS

    veja também