Palanque do Zé #112 - A Magazine Luiza prática racismo reverso?

A Bigorna 28/09/2020 08:50:00 940 visualizações
Palanque do Zé #112 - A Magazine Luiza prática racismo reverso? legenda: Palanque do Zé Foto Fonte: Jornal A Bigorna

Essa semana a rede varejista Magazine Luiza abriu inscrições para o seu programa de trainee 2021. Tudo seria maravilhoso se eles fossem justos. Mas não é o que acontece, afinal, a empresa afirma que aceitará apenas candidatos negros.

De acordo com a Companhia, o objetivo é trazer mais diversidade racial para os seus cargos de liderança.

 

E pior: Esse absurdo está se esparramando pela sociedade, afinal, outras empresas também seguiram a mesma linha, ao somente permitir a disputa de mulheres ou negros: Bayer, Gerdau, Procter & Gamble e Banco BV são algumas delas.

Nessa altura do campeonato, talvez você esteja considerando que sou uma pessoa racista e machista, afinal me posicionei contra programas de trainee exclusivos para negros e mulheres. Não é esse o caso, fique tranquilo! Sou contra a segregação social e sexual, só isso.

Talvez você esteja pensando no tal do racismo estrutural… Eu também. E é justamente por isso que é importante defini-lo adequadamente, para que possamos seguir adiante.

O Gabinete Estratégico do Aspen Institute define o racismo estrutural como sendo “Um sistema no qual políticas públicas, práticas institucionais, representações e outras normas funcionam de várias maneiras, muitas vezes reforçando, para perpetuar desigualdade de grupos raciais identificando dimensões de nossa história e cultura que permitem privilégios associados à “brancura” e desvantagens associadas à “cor”.

Essa pode não ser a melhor definição possível, mas é a mais aceita pelos especialistas no assunto. E ela nos serve.

Já percebeu que se eu trocar "brancura" e "cor" na definição acima, teremos o chamado racismo reverso? Não sabe o que é isso? Melhor conceituarmos também, para fins de compreensão.

De acordo com a Wikipedia, "racismo reverso é um termo usado para descrever atos de discriminação e preconceito perpetrados por minorias raciais ou grupos étnicos historicamente oprimidos contra indivíduos pertencentes à maioria racial ou grupos étnicos historicamente dominantes".

Sei que os negros (e as mulheres, os judeus, os ciganos, os deficientes e mais um monte de gente) foram humilhados, vilipendiados e até mortos no passado recente do Brasil e do Mundo. Sei também, que isso continua a acontecer em muitos lugares do Planeta, sem previsão de acabar.

Mas isso não justifica o que estão fazendo. Nessa toada, o máximo que vão conseguir, é vingança. A verdade é que está cada vez mais difícil ser homem, branco e hétero.

Como o dito "Cidadão Modelo" vai sustentar a sua família? Qual a razão de uma Empresa preteri-lo numa vaga de emprego em razão do tom da sua pele? Homens brancos e héteros não precisam trabalhar para viver?

O que as minorias precisam é de chances e oportunidades iguais. Eles não precisam de vantagens indevidas.

Morgan Freeman, um ator americano negro e mundialmente famoso, vencedor do Oscar e do Globo de Ouro, dentre muitos outros prêmios, certa vez disse: “O dia em que pararmos de nos preocupar com Consciência Negra, Amarela, ou Branca e nos preocuparmos com Consciência Humana, o racismo desaparece”.

E ele conseguiu resumir exatamente o que penso.

Contato:

WhatsApp (14) 9.9705-7070
Fone: (14) 9.9705-7070
Email: contato@jornalabigornaavare.com.br